Faltam 6 dias…

by


Eu já passei das dificuldades iniciais da amamentação que, particularmente, foi uma experiência que ocorrera de forma tranqüila: o peito não rachou, foi exclusivo até os cinco meses, meu bebê se desenvolveu de uma forma maravilhosa.

Mas passo agora por outras dificuldades: as finais. E não é porque eu não consigo desmamar, pelo contrário, estabeleci que queria amamentá-lo até os dois anos. Mas o preconceito da sociedade e da família é muito grande.

Chamam meu filho de manhoso, de sem vergonha, como pode! Ele é um inocente de um ano de oito meses. A ginecologista chegou ao cúmulo de dizer que ele virá a ser um adulto problemático por causa disso, que eu tinha que tirar o peito urgentemente. O marido, apesar do seu amor e companheirismo, alega que não agüenta me ver acordando ainda, depois de mais de um ano,  de madrugada.

Mal sabe ele que eu ligo o piloto automático. É tão natural que eu não sinto o cansaço e o sono que ele diz que eu deveria sentir… Assim como todo o resto do mundo que jura saber como eu me sinto cansada.

Cansada nada! Ele continua mamando, acima de tudo porque eu quero, porque nós dois gostamos. Somos então dois sem-vergonhas, cúmplices nessa relação de amor e carinho mútuo. Ele mama até hoje porque, apesar de toda torcida contra, acho que faz bem , porque é seu acalanto, o seu remédio e a minha terapia.

Tatiana Ferreira e o bebêzão Luiz Tiago.

Leia mais sobre o tema:

  • As crianças que mamam no peito após um ano de idade, no mínimo duas vezes ao dia, conseguem garantir pelo menos 40% das necessidades nutricionais diárias. Além disso, as mães continuam garantindo uma ótima produção de anticorpos para defender essa criança de doenças”, explicou a coordenadora da Política Nacional de Aleitamento Materno do Ministério da Saúde, Sônia Salviano., no link abaixo;
  • O desmame precoce acarreta prejuízos tanto para os bebês como para as mães. A doença mais comum nas crianças é a diarréia, que leva muitas vezes a criança à desnutrição e à predisposição a outras infecções, como as respiratórias e as de ouvido, podendo levar à morte. As mães que amamentam mais seus filhos também reduzem o sangramento pós-parto e a possibilidade de desenvolver anemia. (link)
  • Aleitamento materno no 2º ano de vida: Cerca de 2 copos de leite materno fornecem mais de 90% das necessidades diárias de vitamina C, assim como % importante das necessidades de vitamina A, proteínas e calorias. (De: WHO/CDR/93.4 )

Nós da Matrice acreditamos e seguimos as orientação da Organização Mundial de Saude, que recomenda a amamentação até pelo menos os 2 anos, sendo que de forma exclusiva até os 6 meses!!!

Anúncios

Tags:

3 Respostas to “Faltam 6 dias…”

  1. Paula Zandonadi Zanirato Tristão Says:

    Oi, Tati e todas as maravilhosas leiteiras e apoiadoras Matrice
    Tati, ouvi as mesmas coisas… Amamentei meu filho até os 3 anos, hoje ele está com 3 anos e 6 meses.
    Parei, pq já tinha deixado de ser bom para mim, e ele estava criando certos vícios que não me agradavam. Ou seja atingimos os nossos limites.
    Tb ouvi absurdos de uma ginecologista. Fiquei 15 min em uma consulta, sendo que uns 10 min ela ficou discursando sobre eu ainda amamentar. Que eu estava criando uma dependencia psicológica enorme, que ele ia ser uma criança dependente etc etc…
    Mas eu sempre tive na minha cabeça que amamentar é ÓTIMO!
    Parabéns a você, continue ai nessa vida de vaca leiteira! Eu adoraria ser vaca leiteira, hehehe
    Bjks
    Paula
    PS: Só queria fazer um comentário, se vc pensa em parar com 2 anos, acho que deveria começar a pensar em restringir as mamadas de madrugada… Pelo menos comigo funcionou assim, eu fui tirando as mamadas durante o dia, depois da madrugada…

  2. Nelia Says:

    Gente, ouvimos muitos absurdos sim, e acho que devemos falar nesse espaço, já que o tema da SMAM 2008 é APOIO. Apoio é tudo o que precisamos para amamentar em paz, pois os obstáculos são tremendos!!
    Acho que só os pais e os filhos (especiamente a mãe) é quem decide se deve amamentar e por quanto tempo, que para mim deve ser algo natural.
    Por enquanto, observo meu filho mamador de 1 ano e 6 meses extremamente saudável, esperto, independente, seguro. E sinto que ainda não é a hora de romper esse vínculo, para desespero da sociedade que só critica.
    Acordo algumas vezes de madrugada, mas sempre acordei, e não me incomoda.
    Garanto que os “adultos problemáticos” o são por todos os motivos, menos por terem sido amamentados por mais tempo!
    Parabéns Tatiana por dividir sua experiência

  3. Bruna Hitos Says:

    Acho que a grande maioria das “Mães Mamíferas” enfrentam os mesmos problemas, os mesmos questionamentos e precinceitos.

    Fiquei muito emocionada com a consideração final:
    “Cansada nada! Ele continua mamando, acima de tudo porque eu quero, porque nós dois gostamos. Somos então dois sem-vergonhas, cúmplices nessa relação de amor e carinho mútuo. Ele mama até hoje porque, apesar de toda torcida contra, acho que faz bem , porque é seu acalanto, o seu remédio e a minha terapia.”

    Parabéns pela persistência!

Comentários encerrados.


%d blogueiros gostam disto: